Curso de Graduação em Filosofia
  • FILOSOFIA DO DIREITO NA RÚSSIA

    Publicado em 21/05/2017 às 22:06
    Философия ПРАВА в России
    FILOSOFIA DO DIREITO
    NA RÚSSIA
    Why Protagoras gets paid anyway: a practical solution of the Paradox of court.
    Elena Lisanyuk [Санкт-Петербургский государственный университет / St Petersburg State University]
    The famous dispute between Protagoras and Euathlus concerning Protagoras’s tuition fee reportedly owed to him by Euathlus is solved on the basis of practical argumentation concerning actions. The dispute is widely viewed as a kind of a logical paradox, and I show that such treating arises due to the double confusion in the dispute narrative. The linguistic expressions used to refer to Protagoras’s, Euathlus’s and the jurors’ actions are confused with these actions themselves. The other confusion is the collision between the pairs of incompatible actions ambiguously expressed by two different pairs of sentences, one of which is a propositionally consistent pair whereas the other is an inconsistent one. The actional (practical) paradox solution aims to clear up these confusions by means of two core borderlines, propositional and expressive, drawn between the actions and the propositions. The propositional distinction says that actions are empirical facts and they lack truth values unlike propositions, which are mental entities and are often employed for referring to the actions. This distinction helps to avoid the confusion between the empirical incompatibility of actions and the truth-functional inconsistency of propositions. The expressive distinction claims that although the same linguistic sentences can be used to refer both to actions and propositions, two empirically incompatible actions can be expressed both by a pair of inconsistent propositions as well as by a pair of consistent ones. Therefore, the action of Protagoras’s getting paid may be linguistically symbolized in four different ways: Protagoras gets paid due to the verdict, Protagoras gets paid due to the contract that amount to Protagoras does not get paid by the contract and Protagoras does not get paid by the verdict respectively, and likewise for Euathlus’s actions. The two distinctions are used for classifying the two groups of paradox solutions, legal and logical, proposed so far depending on which of the two confusions they purport to escape from. The actional reconstruction of the paradox suggests that there is only one single agent in the dispute, Protagoras, while the other named Euathlus is a phantom, which most probably was invented by Protagoras himself for the sake of creating this challenging sophism.
     
    Legal philosophy in Russia today
    Mikhail Antonov (Санкт-Петербургская высшая школа экономики / St Petersburg Higher School of Economics)
    The subject matter is about the fundamentals around which legal philosophy is organized in Russia, and about the developments that shaped these fundamentals and the specific ways to discuss them. This paper does not seek to give a full account of the names and topics discussed by Russian legal scholars, as this would confine the presentation to the details that are not important for the evaluation of the state-of-affairs and further development. Instead of being a meticulous description of who said what about legal theory in Russia, this contribution would present the topic as a general introduction to Russian legal thinking, and as a short explanatory notice for better understanding narratives of Russian political leaders (Putin, Medvedev and many others have legal formation) and legal scholars. I will give some prehistory to situate the recent developments and further prospects in a more general context.
     
    29 de maio -19:00 – 21:30  CFH   Sala 209

  • Conferência “O desejo nas figuras morais aristotélicas” – Prof. Dra. Juliana Aggio – UFBA

    Publicado em 16/05/2017 às 19:29


  • REFORMA OU REVOLUÇÃO em 2017 – Painel

    Publicado em 16/05/2017 às 18:31

    REFORMA OU REVOLUÇÃO

    em 2017

    PAINEL

    • Lutero publica as suas 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg em 31 de outubro de 1517
    • Promulgada a Constitución Politica de los Estados Unidos Mexicanos que incluiu direitos sociais em 5 fevereiro de 1917
    • O Partido Bolchevique toma o poder na Rússia em outubro de 1917

     

    1º. de junho FURB

    Manhã

    Mylai Burgos Matamoros UNAM, Elsa Bevian [FURB],  Carlos Sell [UFSC], Denilson Werle [UFSC]

     

    Noite

    Mylai Burgos Matamoros [UNAM], Elsa Bevian [FURB],  Carlos Sell [UFSC], Denilson Werle [UFSC]

     

    05 de junho UFSC

    Auditório do CFH

    19:00 – 22:00

     

    • Lutero publica as suas 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg em 31 de outubro de 1517
    • Promulgada a Constitución Politica de los Estados Unidos Mexicanos que incluiu direitos sociais em 5 fevereiro de 1917
    • O Partido Bolchevique toma o poder na Rússia em outubro de 1917

     

    Mylai Burgos Matamoros [UNAM], Cláudio Ladeira [UFSC], Elsa Bevian [FURB],  Denilson Werle [UFSC], Carlos Sell [UFSC]

    Mediador: Alessandro Pinzani [UFSC]

     

    PROMOÇÃO: UFSC – DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA, NEFIPO, E CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS;

    FURB – Curso de Direito


  • Ciclo de Palestras da Graduação. Organização: CAFIL

    Publicado em 12/05/2017 às 18:22


  • Minicurso: “Teoria do Conhecimento nas Investigações Lógicas de Husserl”

    Publicado em 08/05/2017 às 16:28

    Ministrante: Doutorando: Allan Josué Vieira (PPGFil/UFSC). Local: Núcleo de Investigações Metafísicas (NIM). Horário: Quintas-feiras, das 16:20 às 18:00 (de 04/05 a 29/06/2017). Obs.: A participação validará 18 horas/aula em atividades extracurriculares. Mais informações: E-mail:   Inscrições: www.inscrições.ufsc.br


  • Ciclo de palestras da Graduação organizado pelo CAFIL

    Publicado em 08/05/2017 às 14:21

    Retificação: A palestra ocorrerá do Auditório do EFI na mesma data e horário


  • O LABORATÓRIO INTERDISCIPLINAR DE ENSINO DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA – Lefis DIVULGA INSCRIÇÕES PARA O CURSO: “FILOSOFIA DA TECNOLOGIA”

    Publicado em 05/05/2017 às 14:15

    Transhumanismo

    O curso: “Filosofia da Tecnologia” é uma proposta do Laboratório Interdisciplinar  de Ensino de Filosofia e Sociologia para fornecer uma introdução aos estudos filosóficos sobre a tecnologia. O encontro será realizado em Florianópolis,  na sala do Lefis na E.E.M. Simão Hess. As inscrições podem ser feitas pelo link (copie e cole no seu navegador):

    https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSekrsWP9Bla1SwXoLqQxJnR677LnDcNba8-edFKLF1ocPMqng/viewform?usp=sf_link

    Ministrante: Alberto Cupani

    Carga horária: 20 horas

    Período: terças feiras 06/06 – 13/06 -20/06 – 27/06 – 04/07

    Horário: das 14h as 18h

    Objetivo: fornecer uma introdução aos estudos filosóficos sobre a tecnologia

    Ementa: Ciência, técnica, tecnologia. Dimensões da tecnologia. Diversos enfoques filosóficos da tecnologia: analítico, fenomenológico, crítico. Tecnologia e poder. Tecnologia e culturas. Determinismo tecnológico. Limites da tecnologia.

    Bibliografia:

    Cupani, A. 2011 Filosofia da Tecnologia. Um convite. Florianópolis: Ed. da UFSC Dusek, Val 2009 Filosofia da Tecnologia. São Paulo: Ed. Loyola Mitcham, C. 1994 Thinking through Technology. The path between Engineering and Philosophy. Chicago: The University of Chicago Press. Mitcham, C. & MacKay, R. (ed.) 1983 Philosophy and Technology. New York: The Free press. Avaliação: Mediante um relatório final.

    Número de vagas: 20 (será dada preferência na lista de inscrições aos professores atuantes no Ensino Médio)

    Local: Sala do Lefis na E.E.M. Simão Hess


  • Colóquio Arte e Estética

    Publicado em 02/04/2017 às 12:17

    16508962_629728913879249_1617464893091422979_n

     

    A programação completa pode ser acessada em: http://www.efa.blog.br/programacao


  • O empirismo temperado de Popper

    Publicado em 30/03/2017 às 09:21

    Palestra: Prof. David Miller (Universidade de Warwick, UK). Distinguido professor de filosofia, foi assistente de pesquisa de Karl Popper por muitos anos. É um expoente do racionalismo critico (filosofia desenvolvida por Popper), tendo dado contribuições pessoais importantes a ela, como se vê no seu livro Critical Rationalism: a Restatement and Defense (1994). O Professor Miller fala um pouco de português, mas se expressa melhor em espanhol. Assim, fará a palestra basicamente nesta língua, mas com uso alternativo do português. Slides serão apresentados. Dia 04 – Abril – 2017. Horário: 18:30h. Local: Mini-auditório do CFH.

    Karl Popper - UFSC

     


  • Filosofia e Ficção

    Publicado em 17/03/2017 às 22:31

    Atividade de extensão: Grupo de Estudos sobre Filosofia e Ficção. Leitura do livro “Ficção e Metafísica“, de  Amie Thomasson. Coordenação: Ítalo Lins Lemos.  Supervisão: Jaimir Conte. Discussão sobre o estatuto metafísico dos objetos ficcionais (como as condições de existência, dependência e identidade). Os encontros acontecerão todas as sextas, das 16h30 às 18h30, na sala do Núcleo de Epistemologia e Lógica (NEL). Participantes terão direito a certificado de participação após o encerramento das atividades do Grupo de estudos.  Cartaz

     

    Filosofia & Ficção


  • A teoria do conhecimento, hoje

    Publicado em 03/03/2017 às 16:01

    image(1)


  • Aula Magna do Curso de Filosofia

    Publicado em 02/03/2017 às 10:19

    image


  • Ensaios sobre a filosofia de Hume

    Publicado em 23/11/2016 às 11:34

    O NEL – Núcleo de Epistemologia e Lógica da UFSC, acaba de publicar mais um volume da série Rumos da Epistemologia: Ensaios sobre a filosofia de Hume. Jaimir Conte, Marília Côrtes de Ferraz, Flávio Zimmermann (Organizadores). Florianópolis: NEL, 2016. Rumos da Epistemologia, volume 16. ISBN: e-book – 978858725330- 9 / ISBN impresso: 978-85-87253-31-6. Visualização no ISSUU.

    David Hume - Ensaios sobre a filosofia de Hume - Capa David Hume - Ensaios sobre a filosofia de Hume - 4a Capa

  • Nota sobre a Medida Provisória MPV 746/2016

    Publicado em 03/10/2016 às 09:25

    Nós, professores do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Santa Catarina abaixo-assinados, dada a recente publicação da Medida Provisória para reforma do Ensino Médio e toda discussão associada a uma questão central de nossa sociedade, e sendo parte interessada e envolvida na questão, vimos por meio desta:

    1. Reafirmar a importância da tradição filosófica, acumulada ao longo de quase três mil anos de exercício intelectual, sob diversas formas. A disciplina que hoje conhecemos por Filosofia tem tratado dos mais variados temas, da Lógica à Filosofa da Arte, da Metafísica à Teoria do Conhecimento, da Filosofia da Ciência à Ética, dentre inúmeras outras áreas. As discussões filosóficas têm desenvolvido e dado forma a muitas teses sobre o modo de encarar a Ciência, a Religião, a Arte, a Moral e a Política, enfim a própria ideia de Cultura. Privar uma sociedade do acesso a tais discussões é empobrecer a percepção da sociedade em relação à sua própria cultura.

    2. Reafirmar a importância do ensino de Filosofia na Educação Básica, pelas razões expostas acima seja por conta das potencialidades pedagógicas da área, seja para o desenvolvimento de habilidade cognitivas específicas, associadas ao refinamento conceitual, ao zelo para com a boa argumentação, ao cuidado na coleta de evidências, etc. e a formação de cidadãos com capacidade de reflexão crítica e de agir segundo valores e princípios constitutivos de uma sociedade pluralista baseada na democracia e no estado de direito.

    3. Reafirmar a importância da valorização da formação específica dos professores de Filosofia na Educação Básica, dadas as especificidades da área, bem como de outras disciplinas que dependam de cursos de Licenciatura consolidados e plenamente valorizados.

    4. Reafirmar a necessidade de ampla discussão sobre o currículo e sobre a implementação de condições apropriadas para os processos de ensino e aprendizagem.

    Por fim, destacamos que a Filosofia exerce historicamente papel integrador relativamente aos diversos conteúdos curriculares na Educação Básica e, por esse motivo, constitui-se em elemento necessário para evitar a fragmentação dos saberes no processo formativo.

    Assinam:

    1. Alberto Oscar Cupani
    2. Alessandro Pinzani
    3. Alexandre Meyer Luz
    4. Aylton Barbieri Durão
    5. Carolina de Souza Noto
    6.Celso Reni Braida
    7. Cezar Augusto Mortari
    8. Claudia Pellegrini Drucker
    9. Darlei Dall’Agnol
    10. Décio Krause
    11. Delamar José Volpato Dutra
    12. Denilson Luís Werle
    13. Gustavo Andrés Caponi
    14. Ivan Ferreira da Cunha
    15. Jaimir Conte
    16. Janyne Sattler
    17. João Eduardo Pinto Basto Lupi
    18. Jonas Becker Arenhart
    19. Leo Afonso Staudt
    20. Luis Alberto Hebeche
    21. Luiz Henrique de Araújo Dutra
    22. Marco Antonio Franciotti
    23. Marcos José Müller-Granzotto
    24. Maria de Lourdes Alves Borges
    25. Mariana Paolozzi Sérvulo da Cunha
    26. Marina dos Santos
    27. Milene Consenso Tonetto
    28. Nazareno Eduardo de Almeida
    29. Roberto Wu
    30. Selvino José Assmann
    31. Ulisses Razzante Vaccari


  • Arte e Filosofia. Ciclo de Palestras

    Publicado em 12/09/2016 às 14:01

    versao-impressao